TwitterFacebookYoutubeInstagram

IMG 5123Preocupada em atender as necessidades da Comunidade Quilombola Invernada dos Negros, de Campos Novos, a Secretaria de Estado da Educação (SED) mediou uma parceria entre o Estado e as prefeituras de Campos Novos e Abdon Batista para a instalação de um Centro de Educação de Jovens e Adultos na comunidade.

Esta é a única turma instalada atualmente numa Comunidade Quilombola em Santa Catarina. A iniciativa, segundo a gerente de educação da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Campos Novos, Patrícia Tomazoni Pelentir, visa atender uma reinvindicação da comunidade de, além de levar instrução para àqueles que estão há muito tempo longe dos bancos escolares, ainda fortificar a cultura local, já que as aulas acontecem no próprio Quilombo.

Para as aulas diárias, que acontecem das 19h às 22h, está sendo utilizada a estrutura da Escola Isolada Municipal Manuel Cândido de Souza, na localidade Dos Cândidos, em Campos Novos. Desta primeira turma de nivelamento da Educação Fundamental – Séries Iniciais, fazem parte 25 alunos de todas as idades, que recebem material e custeio com professores por parte do Governo do Estado, e transporte escolar e alimentação escolar oferecidos pelas Prefeituras Municipais que são parceiras.

IMG 5083De acordo com Maria Simone Aguiar, de 36 anos, que nasceu e cresceu na comunidade Invernada dos Negros e só cursou até a 4ª série do ensino fundamental este momento é a realização de um sonho. “Retorno hoje para a escola onde aprendi a ler e escrever para retomar meus sonhos de adquirir mais conhecimento. Isso vai mudar muito a vida da gente por aqui. Por um momento cheguei a pensar que este instante não se concretizaria, já que quando frequentei a escola sequer havia transporte escolar para nos conduzir até a escola, e hoje ele passa em frente a nossa casa para nos buscar.”, explicou.

A secretária-adjunta da Educação, Elza Marina Moretto, também esteve presente ao longo do processo de mediação entre a comunidade, a SED e a ADR de Campos Novos. Além de se reunir com os representantes e lideranças locais a secretária visitou a comunidade e o ambiente onde o centro educacional foi acomodado. “A instalação desta unidade de Educação de Jovens e Adultos é um grande passo para a defesa da cultura quilombola, não somente por gerar oportunidades mas por se encontrar dentro da própria comunidade”, destacou Elza.

O secretário executivo de desenvolvimento regional de Campos Novos, Jairo Luft ressaltou que esta ação só foi possível devido a parceria firmada entre os municípios envolvidos no processo. “Esta é uma ação que comprova que a atuação do Governo do Estado está em todos os cantos de Santa Catarina. Sabemos da preocupação do Governo de investir em todas as áreas, principalmente no fortalecimento da Educação, porque todos acreditamos que o futuro realmente passa pelo banco escolar. Esse sistema de educação que colocamos em prática neste momento atinge jovens e adultos de todas as faixas etárias e cria para eles uma expectativa e uma esperança de dias melhores.”, disse.

 

O Núcleo de Educação Quilombola

IMG 5121O Núcleo de Educação Quilombola (NEQUI), vinculado à Gerência de Políticas e Programas de Educação Básica e Profissional, é o espaço de trabalho especializado da Secretaria de Estado da Educação para formular, disseminar, orientar e avaliar a implementação de diretrizes, programas e políticas públicas para a educação quilombola no Estado.

Instituído em 2016, o NEQUI trabalha em alinhamento com a Proposta Curricular de Santa Catarina e com a legislação Federal e Estadual. A educação quilombola, na maioria das comunidade de Santa Catarina, desenvolve a socialização dos conhecimentos, das tradições, do “ser quilombola”, a partir da convivência e observação dos mais velhos, tendo a tradição oral como o mais importante meio de transmissão do conhecimento.

A coordenadora do NEQUI Maria Benedita Prim destacou que o Núcleo foi desde cedo mediador entre a SED, a Gerência Regional de Educação e a comunidade. “Tivemos presentes no NEQUI dois representantes da comunidade Invernada dos Negros, com os quais trabalhamos para suprir as necessidades do quilombo”, comentou.

Em conjunto com a escola essa ampla tradição educacional inclui família, membros da comunidade, relações de trabalho, relações com o sagrado e as vivências inclusive nas escolas, nos movimentos sociais ou em outras organizações.

Segundo Ely das Graças Souza, professora quilombola da Comunidade Invernada dos Negros e colaboradora da atualização da Proposta Curricular de Santa Catarina, “o Quilombo é o local onde vivem as pessoas que foram escravizadas e o que nos identifica como quiilomvo pe a ideia de pertencimento a terra, o respeito à natureza e à preservação das tradições culturais herdadas dos mais velhos”, destacou em relato no documento.