TwitterFacebookYoutubeInstagram

Carla MECO Ministério da Educação (MEC) lançou nesta quinta-feira (11) uma carta-compromisso com objetivos para a educação básica até 2022, além de uma meta-geral para os próximos 12 anos. O texto foi chamado de “Compromisso Nacional pela Educação Básica”, e deverá ser usado como um plano estratégico para as políticas da pasta. A secretária adjunta de Estado da Educação, Carla Silvanira Bohn, que está em Brasília participando de evento da Frente de Trabalho de Formação para os Novos Currículos, participou do lançamento e reforça que Santa Catarina está em sinergia com a nova estratégia.

Segundo a secretária, as práticas de gestão em Santa Catarina estão em plena coesão com a estrutura apresentada pelo MEC no protocolo de intenções. “Hoje trabalhamos com evidências concretas, nossa tomada de decisão está pautada em dados fidedignos e ações assertivas. Estamos modernizando sistemas, implementando parâmetros de qualidade, critérios de desempenho e concentrando esforços para a qualidade de ensino do nosso aluno”, explicou Carla.

11 07 Secretária adjunta da Educação Carla Bohn participou do lançamento da carta compromissoO documento foi discutido com secretários estaduais e municipais e inclui a valorização de professores. O texto é estruturado a partir das etapas da educação básica: ensino infantil, fundamental, médio, profissional e educação de jovens e adultos (EJA). Também há eixos ligados à formação de professores, ao fortalecimento da gestão escolar e à avaliação dos alunos.

A carta ainda destaca pontos como ampliação da carga horária de escolas públicas para diminuir a evasão escolar, acesso à internet em escolas rurais e formação de professores da educação básica por meio de ensino a distância.

Principais compromissos:

- Tornar o Brasil referência em educação básica na América Latina até 2030 ;

- Estimular a adesão ao “Novo Ensino Médio”, com investimentos de R$ 230 milhões até o fim do ano;

- Estabelecer trilhas de formação de professores da educação básica até 2020, por meio de cursos de ensino a distância com a disponibilização e materiais de apoio e disponibilização de recursos;

- Conectar 6,5 mil escolar rurais em todos os estados à internet, com banda larga por satélite, com investimento de R$ 120 milhões até dezembro, beneficiando 1,7 milhão de estudantes ;

- Revitalizar o programa “Novo Mais Educação”, ampliando a carga horária dos colégios públicos para “diminuir a evasão e melhorar indicadores educacionais”.