TwitterFacebookYoutubeInstagram

Escola Simão José HessOs professores das redes municipal e estadual de educação básica podem fazer cadastro para cursar licenciatura na área em que lecionam. Os interessados devem inscrever o currículo na Plataforma Capes de Educação Básica e preencher os dados sobre a formação docente e a atuação profissional. O prazo para o cadastro está aberto até o dia 31 de janeiro de 2020.

Após análise das secretarias de educação de cada estado, os dados serão utilizados pela Capes para estimar a demanda de projetos que estimulam cursos de licenciatura, como o Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor) e a Universidade Aberta do Brasil (UAB). Caso várias docentes do Estado manifestem interesse, haverá abertura de turmas especiais por instituições de ensino superior.

No caso do Parfor, que teve o último edital publicado em 2018, os cursos são oferecidos em três categorias: a licenciatura para os docentes que não possuem formação superior; a segunda licenciatura para os professores que têm formação em área distinta da atuação em sala de aula; e formação pedagógica para os docentes que têm curso superior, mas sem habilitação em licenciatura.

Em Santa Catarina, de acordo com a Diretoria de Gestão de Pessoas da Secretaria de Estado da Educação (SED), há duas situações principais em que os profissionais podem ser beneficiados pelo programa. Os professores com curso de magistério e sem graduação e os docentes com licenciatura em uma área do conhecimento, mas que atuam em parte da carga horária lecionando outra disciplina. Estes podem ter a oportunidade de cursar uma segunda licenciatura.

A adequação é necessária para cumprir a formação docente exigida pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). Além disso, o estímulo atende à estratégia 15.8 do Plano Estadual de Educação, a qual busca “desenvolver programas de formação superior para docentes não habilitados na área de atuação em efetivo exercício nas redes públicas”.