TwitterFacebookYoutubeInstagram

14-02 Curso ChapecóCerca de 20 professores e diretores que atuam em escolas indígenas da região de Chapecó participaram nesta semana de um seminário para debater os desafios da educação escolar indígena. O evento ocorreu na quarta-feira, 12, na sede da Unochapecó e contou com a presença da professora doutora Helena Alpini Rosa, servidora da Secretaria de Estado da Educação (SED).

Pela manhã a atividade envolveu professores formadores e gestores das escolas indígenas. À tarde o grupo visitou a Escola Sapety Kpo, situada na Terra Indígena Kondá e dialogou com alunos de cursos de Licenciaturas Indígenas e lideranças. 

Mais de 150 acadêmicos de cinco cursos de licenciatura da Unochapecó (Licenciatura Intercultural, Pedagogia, Educação Física, Ciências Biológicas e Letras) são integrantes da etnia Kaingang. 228 alunos da Educação Básica e Educação para Jovens e Adultos (EJA) estão matriculados na unidade escolar, que sedia ainda aulas do curso de Licenciatura Intercultural em Pedagogia, em convênio com o Fundo de Apoio à Manutenção e ao Desenvolvimento da Educação Superior (Fumdes). O programa de concessão de Bolsas de Estudo, da Secretaria da Educação do Estado de Santa Catarina, previsto no Art. 171 da Constituição Estadual.

De acordo com Helena, a atividade focou nos desafios metodológicos da educação escolar indígena: “Foi uma conversa partindo de conceitos relacionados à identidade, interculturalidade e fronteira. Dialogamos ainda sobre como traduzir os saberes acadêmicos para a prática na sala de aula”, detalhou a professora.

Para a coordenadora das Licenciaturas Indígenas da Unochapecó, Teresa Machado da Silva Dill, o workshop fortaleceu o diálogo e os princípios da educação escolar indígena: “O evento nos permitiu fazer um processo de mobilização do conhecimento que acontece em sala de aula em sintonia com as demandas da escola e da comunidade”, finaliza a professora.