TwitterFacebookYoutubeInstagram

IMG 0035O encontro reúne representantes das etnias Guarani, Kaingang e Xokleng além de técnicos da SED

O Núcleo de Educação Escolar Indígena (NEI), da Secretaria de Estado da Educação (SED) recebe, nesta quarta-feira, 24, os professores das etnias indígenas Guarani, Kaingang e Xokleng, com o objetivo de reestruturar o Núcleo, a partir da discussão da estrutura e funcionamento, do nome dos representantes e da definição de estratégicas para o segundo semestre e para 2017. O encontro será das 8hs as 17h30, com intervalo de almoço, no auditório da Secretaria.

 

IMG 0007Estiveram presentes na abertura, a secretária-adjunta da Educação, Elza Moretto, o diretor de Articulação com os Municípios, Osmar Matiola, a gerente de Políticas Educacionais para a Educação Básica, Júlia Siqueira e os membros das diretorias que fazem parte do NEI.

Segundo o coordenador, Cesar Cancian Dalla Rosa, o Núcleo é responsável por desencadear e orientar as políticas de educação indígena no Estado. Sediado na Secretaria, é um espaço consultivo para as ações que envolvem o planejamento da Educação Escolar Indígena, conforme as orientações previstas na Proposta Curricular de Santa Catarina, no Plano Estadual de Educação e nas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Indígena.

Ramiro Marinho Costa, da diretoria de Gestão de Rede e membro do NEI, ressalta que de acordo com legislação nacional e internacional, antes de implementar qualquer política para a educação dos povos indígenas, é necessário realizar antes uma consulta com os próprios povos a quem essa política se destina. “Após a definição das diretrizes curriculares para a educação do povos indígenas, a proposta será normatizada pelo  Conselho Estadual de Educação (CEE).         

Entre as lideranças indígenas a quem foram apresentadas o núcleo, estavam Abraão Kovipatte, da etnia Xokleng, João Batista Antunes, representando os Kaingang e Davi Werá Martins, da etnia Guarani. Durante o debate eles destacaram e elogiaram a ativação do Núcleo. Segundo Abraão, “Este reestruturamento do NEI cria um novo e importante diálogo e parceria entre a SED e as lideranças indígenas”, comentou. De acordo com João, que é professor de português a mais de 10 anos, “o Núcleo é um instrumento que realmente faz com que nós (indígenas) nos sintamos parte da tomada de decisões sobre o sistema educacional do Estado”, destacou. Da mesma forma, Davi, da etnia Guarani, falou sobre a ligação proposta entre a SED e os indígenas, “buscamos com o NEI a criação de uma nova e melhorada política de trabalhos entre a SED e as escolas indígenas”, falou.

Além da presença dos representantes indígenas, também participam do encontro técnicos da Secretaria, da Coordenação de Educação da Grande Florianópolis. Para consolidar o trabalho do NEI, estão previstas mais três reuniões até o final do ano.