TwitterFacebookYoutubeInstagram

frente em3Secretários de Educação e responsáveis pelo Ensino Médio nas redes estaduais participaram nesta quinta-feira (17) de reunião extraordinária do Consed para uma devolutiva da Frente de Currículo e Novo Ensino Médio. A Frente é coordenada pelo secretário de Educação de Santa Catarina, Natalino Uggioni.

Na ocasião, Uggioni apresentou um relatório sobre o andamento da escrita e da homologação dos currículos do Novo Ensino Médio nos estados, destacando que é preciso melhorar o fluxo de informações entre as coordenadorias nas secretarias e o Consed. “Há ainda a necessidade de uma formação para o trabalho da arquitetura”, continuou o secretário.

Sobre as ações que a frente tem realizado, Natalino disse que tem dialogado com instituições estratégicas para a elaboração de livros didáticos da etapa de ensino. “Há ainda uma interlocução com o MEC e o FNDE para que se possa desenhar uma estratégia de apoio aos estados, fortalecendo o regime de colaboração.” Sobre isso, o secretário lembrou a última reunião com a Secretária de Educação Básica do MEC, Izabel Pessoa, que garantiu a contratação de novos consultores para os estados, com recursos do Banco Mundial.

Também está sendo feita uma escuta dos estados, por meio de conversas com os coordenadores e consultores. A ideia é compreender as principais demandas e angústias para 2021. Algumas já foram identificadas, como a formação continuada dos técnicos das secretarias que atuam com PAR e SIMEC, e apoio às ações dos estados no Ensino Médio Noturno e EJA.

Ao avaliar a devolutiva, o secretário Jerônimo Rodrigues (BA) destacou o papel do Consed na governança da Frente do Ensino Médio, uma vez que os estados são responsáveis por mais de 80% da matrícula nessa etapa. Ele também destacou a necessidade de uma construção inclusiva do Novo Ensino Médio, com um olhar atendo à diversidade. Já o secretário Getúlio Ferreira (RN), destacou o cuidado com o perfil dos consultores que auxiliam os estados nessa construção e a necessidade desse profissional ser do estado, para que o histórico do seu trabalho não seja perdido ao final do seu contrato.