TwitterFacebookYoutubeInstagram

Atividades 2A rede estadual de ensino de Santa Catarina encerrou nesta sexta-feira, 18, um ano letivo marcado por mudanças e adaptações. O sistema de atividades não presenciais, instituído em 6 de abril, marcou o início de uma nova fase na educação catarinense, como resposta rápida ao crescimento da pandemia de Covid-19. Professores adaptaram o plano de ensino e começaram a elaborar atividades aos alunos com apoio de tecnologias digitais, como o Google Classroom, e também com materiais impressos.

Após o período inicial de incertezas, o modelo se consolidou ao longo de 2020 e encerrou o ano com atendimento de 96,7% de alunos do Ensino Fundamental e Ensino Médio da rede estadual, considerando os dados cadastrados pelos docentes na plataforma Professor On-line. Outros 2,4% dos alunos estão sem informações no sistema e 0,9% estão indicados como não atendidos, público que é o foco do Programa de Combate à Evasão Escolar (APOIA).

Entre os alunos atendidos, 59% aprenderam com as atividades orientadas pelos professores na plataforma do Google Classroom, enquanto 24% tiveram acesso aos materiais com atividades impressas e 16% foram atendidos de ambas as formas. Ao longo do ano, 424 mil estudantes, cerca de 78% da rede, chegaram a entrar na plataforma on-line, sendo que cerca de 75% seguiram acessando.

“Santa Catarina fez o seu melhor, dadas as condições e limitações que tivemos por conta da pandemia, sendo um dos primeiros estados a iniciar o trabalho de forma não presencial. Vamos trabalhar continuamente pela qualidade no processo de educação para que os alunos assimilem o conteúdo e tenham sucesso na continuidade da trajetória escolar”, destaca o secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni.

Professores publicaram 4,4 milhões de atividades na plataforma on-line

Para capacitar o trabalho pedagógico dos professores da rede estadual para as atividades não presenciais, os docentes participaram de dezenas de capacitações on-line, transmitidas ao vivo desde abril. O primeiro ciclo de formação teve 31 webinars e certificou 20,4 mil professores da rede. O segundo ciclo teve a participação de 5 mil professores do Ensino Fundamental em mais 31 webinars.

Como resultado, 30 mil professores trabalharam ativamente durante o ano na plataforma on-line, equivalente a 96% de participação entre os docentes. Os docentes sem acesso à internet usaram o espaço das escolas, seguindo os cuidados sanitários, para conseguir elaborar as atividades para os alunos.

O engajamento dos professores reflete nas 4,41 milhões de atividades publicadas na plataforma on-line ao longo do ano. “Todo esse aprendizado não mais sairá da sala de aula, porque professores e alunos não vão abrir mão de seguir usando a tecnologia para o ensino. Então vamos ter um reforço para o processo de aprendizagem e Santa Catarina certamente ganhará em termos de melhor qualidade no processo de educação”, complementa Uggioni.

Ações com foco no ano letivo de 2021

Após a adoção do Apoio Pedagógico Presencial na rede estadual neste ano, 2021 deve iniciar com aulas presenciais. O decreto nº 1.003 publicado pelo Governo e a portaria nº 983/2020, publicada em conjunto pelas Secretarias de Estado da Saúde, Educação e Defesa Civil, reforçam as diretrizes previstas no Plano de Contingência para Educação (PlanCon) e definem as normativas para a retomada das aulas presenciais.

A rede estadual deve adotar regime de alternância, dividido em dois momentos. O “Tempo Escola” consiste no atendimento presencial na unidade escolar, com turmas subdivididas em grupos. Já as atividades pedagógicas que compõem o “Tempo Casa” podem ser realizadas com ou sem a mediação por tecnologias digitais, com orientação para que as escolas criem dinâmicas para que estudantes sem acesso possam, sempre que possível, integrar-se às atividades em espaços disponibilizados na escola.

Já planejando o próximo ano, foram investidos R$ 5 milhões na compra de EPIs para a rede estadual. São mais de 2 milhões de máscaras, 43 mil frascos de álcool em gel, totens para álcool em gel com dispenser, 3,5 mil termômetros clínicos para aferir temperatura, caixas com luvas descartáveis e até lixeiras adaptadas com tampa acionada por pedal, seguindo as orientações do PlanCon.