TwitterFacebookYoutubeInstagram

Prêmio Professor Inovador 2021

A oficina de robótica de uma escola estadual alcançou uma tripla conquista essa semana. Um professor e quatro estudantes da Escola Estadual Básica Bom Pastor, em Chapecó, conseguiram três lugares do pódio no Prêmio Inovação Catarinense, realizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina (Fapesc). A divulgação dos resultados ocorreu em uma transmissão virtual ao vivo no canal da Fapesc, no dia 27 de abril.

No total, a escola da rede pública estadual emplacou cinco premiados em duas categorias. O professor de matemática Carlos Rutz conquistou o 1º lugar como Professor Inovador. Já as estudantes Camila Vanin e Netaly Ghidolin Conte ficaram em 2º lugar na categoria Jovem Inovador. Elas disputaram com os colegas de turma Jean Claude Rossa e Sandro Altenhofen Junior, que ficaram classificados em 3º lugar.

Projeto finalista Fapesc 1Rutz se destacou pela atuação na oficina de robótica e astronáutica, incentivando os alunos a conhecer novas tecnologias, fazer pesquisas, testar e construir. Ele iniciou a oficina de robótica em 2014 na escola: “O projeto conseguiu gerar um ecossistema para colocar em prática as ideias e pesquisas dos alunos. Receber esse prêmio coroa nosso trabalho e toda a evolução dos estudantes nesse período”.

No projeto, ele trabalha diretamente com adolescentes durante um ou dois anos. “Tento mostrar o caminho da ciência e provar que a pesquisa científica e pensar logicamente são ações facilitadoras que abrirão portas nas carreiras profissionais e até mesmo na vida pessoal dos alunos”, defende.

Aulas online de robóticaAmbos os trabalhos foram realizados entre o fim de 2019 e o início de 2020, para serem inscritos em uma competição de âmbito nacional. Como a criação e a montagem dos projetos ocorreram antes da pandemia, tanto nas fotos que ilustram a matéria, quanto nos vídeos, os estudantes aparecem sem o uso de máscara.

Os três primeiros lugares nas 11 categorias receberam R$ 15 mil, R$ 10 mil e 5 mil, respectivamente. Os quatro alunos ganhadores afirmaram que vão dividir os prêmios entre si.

Conheça os projetos vencedores

As estudantes Camila Vanin e Netaly Ghidolin Conte desenvolveram, com a supervisão de Rutz, uma caixa de remédios automatizada para ajudar idosos que vivem sozinhos na distribuição dos medicamentos, evitando acidentes.
A caixa possui uma série de sensores que identifica se o idoso retirou o remédio certo e no horário adequado para se medicar. Além disso, está integrada a um sistema que envia mensagens de texto (SMS) aos familiares caso o idoso não tome o remédio certo ou se esqueça desta ação.

A criação conta também com LEDs indicativos e alarmes sonoros para melhor auxiliar idosos com baixa visão e audição. O professor destaca que várias pesquisas e entrevistas em asilos foram realizadas pelas alunas. “Assim, este projeto trouxe um pouco de humanidade às atividades realizadas na oficina”. Veja o vídeo com mais detalhes.

Projeto finalista Fapesc 2Já os estudantes Jean Claude Rossa e Sandro Altenhofen Junior desenvolveram um jogo para incentivar o aprendizado de matemática. O jogo virtual em duas dimensões auxilia professores e estudantes dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental com a disciplina de matemática.

A ferramenta busca melhorar o desempenho dos estudantes em assuntos específicos, aliando a coordenação motora para mover o personagem e vencer seus adversários ao conhecimento adquirido em matemática para responder perguntas dentro do próprio cenário. O apelo principal do jogo é fazer com que as crianças sintam interesse em resolver os problemas. Veja o vídeo com mais detalhes.

Rutz destaca que até então as disciplinas de matemática, que ele leciona, e física eram as mais abordadas na oficina de robótica. “Mas, ultimamente, os estudantes estão se aventurando em outros campos de conhecimento, como biologia, química, saúde coletiva e também astronomia”, explica. Assista a um depoimento do professor sobre a realização dos projetos.

Alunos comemoram resultados

Os quatro alunos concluíram o Ensino Médio em 2020 e ficaram felizes com o reconhecimento: “Foi muito gratificante receber o prêmio e ver nosso esforço sendo valorizado e recompensado. Ficamos ainda mais felizes em saber que com o projeto podemos ajudar muitas pessoas, além de plantar uma sementinha nos futuros jovens inovadores, afinal, isso é ciência!”, afirma a jovem Netaly.

Jean concorda: “Estamos felizes por colher os frutos de um projeto onde colocamos tanto empenho e dedicação”. Tanto ele quanto o parceiro de projeto foram influenciados pela robótica na escolha do curso superior: ele decidiu fazer Ciências da Computação, pois sempre gostou da parte da programação, enquanto Sandro escolheu cursar Engenharia de Computação.

Conheça os ganhadores das demais categorias na matéria.

Sobre o prêmio

entrega prêmio inovação fapescEsta foi a 9ª edição do Prêmio Inovação Catarinense - Professor Caspar Erich Stemmer. Desde 2009, foram homenageadas mais de 100 personalidades, empresas e instituições. A Fapesc também destinou mais de R$ 2,3 milhões para esses trabalhos e trajetórias de destaque no Estado.