TwitterFacebookYoutubeInstagram

Robótica CapaO ensino de robótica tem crescido nas escolas da rede estadual com o empenho e dedicação de professores e alunos.

O professor de física da EEB Pedro Bittencourt, em Imaruí, Antônio Marcos Silva de Andrade, motivou os alunos a entrarem na robótica convidando-os a participar da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR).

Ele descreve que, no início, os alunos não queriam participar, argumentando que não conheciam de robótica nem de programação. Até que ele sugeriu uma ida ao laboratório para fazer um experimento. Depois deste dia, 23 alunos de todos os anos do Ensino Médio estão participando ativamente dos encontros semanais realizados no contraturno, onde ele ensina a linguagem de programação C++. Agora, os alunos estão divididos em grupos para participarem das modalidades prática e teórica da Olimpíada.

EEB Pedro Bittencourt ImaruíUma das atividades práticas envolve a criação de uma pista na qual um robô executa todas as manobras de maneira autônoma, sem nenhuma interferência, desviando de obstáculos e subindo rampas, por exemplo. “O interesse está bem grande por parte dos alunos, pois mesmo sem ter um computador para cada um, eles estão entusiasmados. Isso tá sendo mais gratificante ainda”, salienta o professor.

Letícia Goulart Duarte, do 2º ano, é uma das alunas participantes: “Depois de várias vezes fazendo testes, eu nem imaginei que conseguiria fazer usando a lógica. É uma nova experiência para mim, ainda estou descobrindo coisas que nunca fiz na vida, além dessa experiência ser legal, estou tendo muito aprendizado”, garante.

Ela surpreendeu usando a lógica matemática para chegar a uma parte do resultado do programa. “É o tipo de atitude que no meio profissional é difícil de ver. Conseguir chegar ao nível de formular uma expressão lógica e colocar pra funcionar logo de primeira é algo raro”, avalia o professor.

Com esse projeto ele espera abrir a mente dos alunos para as novas possibilidades: “Quero que quando eles estejam no mercado de trabalho e possam sonhar alto, vislumbrar o futuro como algo possível e que depende só deles”, pontua Marcos.

Protótipo a partir de Lego

EEB Dolvina Leite de Medeiros AraranguáJá na EEB Dolvina Leite de Medeiros, em Araranguá, o professor de Matemática Thiago Melo Alexandrino ajudou os alunos do 3º ano do Ensino Médio a desenvolverem um protótipo utilizando o Lego NXT, uma linha de brinquedos voltada para a educação tecnológica.

“Para montar o robô escolhido pelo grupo, eles utilizaram um jogo Open Source que facilita a criação de Visual Novels, uma forma de narrativa mediada pelo computador. A cada etapa da montagem o avatar escolhido mostrava cada peça que seria necessária”, detalha.

Ao final, foi possível executar o protótipo com o App baixado na Play Store para guiar o robô: “O momento que viram o robô se movendo a partir da própria criação deles foi inexplicável”.

O professor Thiago já tem afinidade com o tema porque sua dissertação de mestrado, defendida em 2017, discutiu a robótica educacional para professores que ensinam matemática.

Como resultado da pesquisa, ele observou que esse tema vem sendo discutido no âmbito da Educação Matemática, mas precisa ser ampliado nas aplicações e estudos teóricos. A robótica educacional ajuda tanto na aprendizagem de conteúdos de matemática quanto no desenvolvimento de habilidades como criatividade, inventividade, trabalho em equipe e resolução de problemas.

“Nos tempos atuais, a pesquisa se justifica pelo fato de termos à disposição um grande número de recursos tecnológicos que podem ser utilizados para ensinar e aprender”, escreveu na dissertação.

 

A série #EnsinoEmSC tem como objetivo apresentar iniciativas de professores e gestores nas escolas da rede estadual de Santa Catarina. As ações serão apresentadas nas mídias sociais pela página @educacaosc e semanalmente no site da Secretaria de Estado da Educação. Estimule as iniciativas na sua escola e participe publicando as ações nas mídias sociais com a hashtag #EnsinoEmSC!